www.industria-portugal.com
Watson Marlow

Watson-Marlow faz parceria com a empresa Cytiva para criar uma nova linha de bombas peristálticas EtherNet / IP

A Cytiva, fornecedora global de tecnologias e serviços, que trabalha no desenvolvimento e na fabricação de produtos terapêuticos, estabeleceu uma parceria com a Watson Marlow Fluid Technology Group (WMFTG) para desenvolver uma nova linha de bombas peristálticas EtherNet / IP. As novas bombas permitem aos fabricantes de medicamentos biofarmacêuticos melhorar o controle do processo, e acessar dados usando redes Ethernet. As bombas são adequadas para a fabricação de medicamentos biológicos, inclusive aqueles usados para terapia celular e genética.

Watson-Marlow faz parceria com a empresa Cytiva para criar uma nova linha de bombas peristálticas EtherNet / IP

A nova linha de bombas EtherNet/IP oferece fácil integração de rede, o que facilita a simplificação dos dados para a tomada de decisões em tempo real durante a fabricação. Essa capacidade de acessar mais informações ajuda os clientes a melhorar a eficiência, a qualidade e a segurança dos processos de produção automatizados, e melhora a velocidade do mercado - ajudando a reduzir o custo do processo de fabricação de medicamentos.

"Na Cytiva, optamos por trabalhar com empresas que possuem tecnologia comprovada, altos padrões de qualidade, suporte especializado dos produtos e foco em inovação", disse Michelle Stafford, líder global de marketing da Cytiva para soluções de bioprocessos. “Os fabricantes de produtos biofarmacêuticos valorizam a velocidade no mercado e precisam de plataformas de fabricação flexíveis que atendam aos requisitos globais. Optamos por trabalhar com empresas que podem oferecer suporte e fornecer produtos a nível global, e é exatamente isso que a Watson-Marlow Fluid Technology Group pode nos oferecer. ”

As bombas EtherNet/IP 630 e 730 da WMFTG estão passando por testes em diversas aplicações de gerenciamento de líquidos, inclusive a transferência de um lote de materiais - de um misturador Xcellerex para um biorreator. As bombas Ethernet/IP 530 que são menores, estão sendo usadas para controlar os níveis de pH em misturadores e biorreatores, juntamente com o gerenciamento de anti-espumante e glicose em biorreatores. O Cytiva também utiliza as bombas para processamento contínuo nas etapas de cultura e perfusão de algumas aplicações.

Desenvolvimento do Produto

A Cytiva solicitou assistência da WMFTG no desenvolvimento de uma bomba como parte de uma iniciativa de atualização de produtos para abordar a tendência em direção à automação e à Internet das Coisas (IoT) na indústria biofarmacêutica. Uma enorme quantidade de dados tem sido gerada no processo de fabricação de medicamentos, inclusive parâmetros, pontos de ajuste e resultados.

“As empresas bioprocessadoras enfrentam desafios ao gerenciar a grande quantidade e os diferentes tipos de dados coletados, e queríamos uma maneira de consolidá-los (e simplifica-los), para que seja mais fácil tomar decisões confiáveis em tempo real durante o processo de fabricação”, explica Stafford. "Essas informações podem afetar o custo e a entrega do medicamento ao paciente".

Muitos produtos anteriores foram desenvolvidos usando o bem conhecido, mas já antigo protocolo de rede fieldbus (PROFIBUS). A equipe de automação buscava desenvolver produtos que pudessem ter acesso online (via cloud / nuvem) para análise da dados. Também estavam de olho em produtos “future-proofing”, ou seja, através da seleção de protocolo de rede, que de certa forma, se adequasse a possíveis mudanças nos próximos anos, com foco crescente na segurança de sistemas conectados à Internet das coisas (IoT).

Jay Doherty, arquiteto de sistemas de controle da Cytiva, trabalhou em colaboração com a WMFTG para criar uma bomba que não dependesse da conexão PROFIBUS. Após uma rigorosa revisão das opções disponíveis, a equipe selecionou o protocolo de controle Ethernet. "Consideramos a Ethernet a maneira mais provável de acessar a IoT - pelo menos na próxima década - com base na disponibilidade de componentes e no excelente suporte dado a esse protocolo na fabricação e no mercado de tecnologia."

Depois que a equipe do Cytiva-WMFTG decidiu a tecnologia Ethernet, eles avaliaram as opções de automação industrial mais conhecidas, finalmente selecionando a EtherNet/IP. “Realizamos uma auditoria da compatibilidade do dispositivo com sensores, balanças e outros dispositivos usados para medição na fabricação biofarmacêutica, e determinamos que eles estavam mais disponíveis no EtherNet / IP do que no Profinet, outra opção possível mais amplamente utilizada na Europa”, explica Doherty . "Além disso, os dois sistemas de controle que a Cytiva utiliza atualmente (Rockwell e Delta V) se integram melhor ao EtherNet / IP do que ao Profinet."

Os clientes que usam o EtherNet / IP poderão conectar sensores de pressão e de fluxo diretamente na parte traseira da bomba, com dados disponíveis na rede para controle fábrica/bomba. Os avisos de alerta e alarme paralisarão a bomba se os limites dos sensores forem excedidos, e um sensor de caudal controla as operações para evitar vazamentos.

Compartilhamento de dados melhora o bombeamento

Embora as bombas peristálticas sejam extremamente precisas, mesmo em baixas velocidades, os sensores de feedback estão rapidamente se tornando mais importantes à medida que a fabricação de lotes contínuos se torna o padrão. "As novas bombas peristálticas WMFTG EtherNet/IP podem ser usadas com medidores de caudal que permitirão ao controlador de rede compensar a degradação da mangueira à medida que se desgasta”, disse Doherty. Ele acrescenta: "À medida que avançamos no processamento contínuo, o cálculo de caudal simplesmente não será suficiente. Com as novas bombas, um medidor de caudal poderá usar o feedback positivo para manter o caudal necessário para o processo. ”

As bombas EtherNet / IP oferecem benefícios significativos

Reduz os custos operacionais e melhora o desempenho do processo usando redes digitais modernas

Ao mudar para um protocolo de comunicação moderno como o EtherNet/IP, a Cytiva pode trazer uma ampla variedade de dados nunca antes disponíveis. Além disso, os Bioprocessadores não precisarão mais depender de controladores com concentradores de dados, economizando dinheiro na construção de grandes controladores para dados que não são usados. Em vez disso, eles podem apresentar conexões simultâneas. “Isso significa que os usuários podem operar uma bomba exatamente conforme exigido pelo processo, e em tempo real coletar dados dela, em vez de coletá-la de um controlador. Se um operador de campo quiser saber o número de horas que a bomba funcionou, poderá verificar diretamente no dispositivo ”, explica Doherty. "Portanto, é realmente uma abordagem de divisão e conquista para o fluxo de dados, o que é excelente para quem precisa estar atento ao que está acontecendo no controlador o tempo todo".

Conecte os sensores locais de pressão e vazão e use a bomba como um acesso/ponte para os dados do sensor

Essa nova funcionalidade permite que o Cytiva reduza a contagem rígida de entrada / saída (input / output), permitindo tratar os pontos de I/O como remotos. No passado, fazer uma leitura de pressão normalmente exigiria um dispositivo com um transmissor e um cabo de retorno ao módulo. Com a nova bomba WMFTG EtherNet / IP, os bioprocessadores podem conectar um transmissor de pressão diretamente na parte traseira da bomba, e lê-lo via EtherNet / IP. Isso reduz a cabelagem, a qualificação da instalação (QI), a qualificação potencial da operação (QO) e a complexidade geral do sistema.

Fácil integração usando arquivos EDS e um perfil de dispositivo avançado da Rockwell Automation

As novas bombas são equipadas com um arquivo EDS licenciado da ODVA, que permite aos usuários desbloquear um recurso extra extremamente útil - todas as informações que chegam ao controlador são capturadas no seu formato original. Isso significa que nenhuma conversão de tipo ou conversão de bytes é necessária para gerenciar esses dados, simplificando significativamente a carga de trabalho e a transferência de dados.

Sem necessidade de adaptadores ou gateways, economizando dinheiro e espaço

As novas bombas oferecem uma enorme quantidade de modernização do sistema já com dispositivos adaptáveis a potenciais tecnologias futuras. Além de economizar dinheiro em adaptadores ou gateways.

A nova bomba oferece solução de automação digital para fabricação biofarmacêutica

“As novas bombas WMFTG EtherNet/IP são ferramentas importantes para os fabricantes biofarmacêuticos atuais, que enfrentam desafios tanto pelo risco de ter sua propriedade intelectual comprometida por sistemas inseguros, quanto pela necessidade de validar processos a qualquer momento que fizerem uma alteração”, conclui Doherty . "As bombas com ligação EtherNet/IP da WMFTG representam um importante passo à frente e foi um prazer trabalhar com a equipe da WMFTG para desenvolver esse produto".

www.wmftg.com.br

  Peça mais informações…

LinkedIn
Pinterest

Junte-se aos mais de 15 mil seguidores do IMP